A esperança de um voo rasante


Amigos da Família Militar. No domingo próximo passado, exatamente dia 1 de julho de 2012, vimos com, grande alegria e esperança, a ousadia de um piloto de nossa gloriosa Força Aérea Brasileira cruzar os ares em velocidade subsônica, em um voo rasante sobre o local em que se procedia a troca do pavilhão nacional. Foi um momento de muita apreensão e surpresa em que todos se extasiaram pela ousadia do piloto do Mirage que não se intimidou em executar manobra tão precisa e tecnicamente perfeita. Vivemos um momento no qual se avolumam as ignomínias voltadas contra os militares, numa orques-tração continuada gerada por frustrados e indignos brasileiros, alheios aos anseios de moralidade e ética vilipendiados e desprezados pelos que detêm o poder, na esperança de que conseguirão curvar as nossas espinhas diante de suas atitudes arbitrárias e autocráticas. Há muito viemos falando sobre a necessidade de se ter uma atitude capaz de mostrar aos nossos detratores que não somos instrumentos descartáveis do contexto sócio-político e econômico do País, e que a direção dos nossos destinos não pode ser conduzida por vertentes ideológicas retrógradas, que só contribuem para diluir cada vez mais, os valores sagrados de nossa nacionalidade. Creio que o Capitão que pilotava o Miraje não tinha a cons-ciência de que, naquele momento em que cruzava os céus estava escrevendo uma página na história do Brasil, mostrando que o poder aéreo brasileiro, tão decantadamente referenciado como inoperante, tem, nas mãos de jovens pilotos, a capacidade de honrar o compromisso de defender a Pátria contra atitudes irresponsáveis e incoerentes de corruptos travestidos de bons administradores. Dilapidação do dinheiro público é a palavra de ordem reinante, como também o é a investida para a desmoralização da justiça e de seus julgadores. É contra tudo isso que o senhor, Capitão, mostrou com o seu gesto. Não venham querer justificar equívocos de manobra para tentar explicar o que aconteceu. Todos nós sabe-mos que essa concepção não tem como prosperar. A verdade está no coração de cada um de nós e ela nos afirma estarmos com a razão. Acredite, senhor Capitão, que a Família Militar se sente gratificada e reconhecida pela coragem e o destemor com que se conduziu nesse evento. Todos estamos orgulhosos do senhor, pela atitude que exteriorizou, e que para nós, inativos, devolveu com autoridade, a “cusparada” que recebemos ao defender a nossa parte na história do nosso País. Embora o senhor não seja um representante do nosso Corpo de Fuzileiros Navais, inconscientemente mostrou ao Pais, e quem sabe ao mundo, que o lema por eles usado nuca foi tão real como agora com a sua atitude: Ad Sumus (Aqui estamos). Foi isso que o senhor passou a todos nós e que nos encheu de orgulho e admiração e que sempre será lembrado em todo dia 1 de julho, o dia em que sinalizamos e firmamos a nossa presença no cenário nacional. Naturalmente que o senhor deve saber a repercussão do seu gesto sobre a sua carrei-ra, mas existem coisas que estão muito acima de nós mesmos, membros de fomos e somos das Forças Armadas. Aqueles que ousarem prejudica-lo em sua carreira são por todos nós conhecidos; seguramente irão responder, em suas vidas, pela pusilanimidade de seus julgamentos ante a indiferença das expec-tativas e anseios da Família Aeronáutica. A Confederação Nacional da Família Militar – CONFAMIL se rejubila em cumprimenta-lo, efusivamente, pela insigne oportunidade de mostrar ao País que estamos presentes e que nos respeitem em nossos valores. O senhor será sempre muito carinhosamente recebi-do por todos nós, em qualquer momento de sua vida. Tenha sempre em mente, senhor Capitão, que a Força Aérea Brasileira é muito maior do que todos nós, e que a tempera com que forja o caráter de cada um dos senhores é feita com o aço de suas espadas e não com a torpeza de um dissimulado e falso comportamento público. Uma última observação gostaria de fazer ao senhor, Capitão: toda vez que tiver a oportunidade de efetuar um voo rasante, o faça numa altitude mais baixa e com velocidade su-persônica. Waldemar da Mouta Campello Filho Capitão-de-Mar-e-Guerra Presidente da CONFAMIL Coordenador do Sistema CONFAMIL.

Assine Nossa Newsletter

E Receba nossas novidades em seu email

SCLN 302 - Bloco B - Sala 101
Cep: 70.723-520
Brasília-DF
Brasil

Telefone: (61) 3327-3409